Blog

Back to Blog

ENTENDA OS LIMITES DO MARKETING MÉDICO NA ERA DAS REDES SOCIAIS

Com o advento das redes sociais, os clientes estão cada vez mais informados antes de adquirir um produto ou serviço. Na área da medicina, não é diferente. Afinal, quem nunca pesquisou sobre um determinado médico ou especialidade antes de agendar uma consulta? A partir dessa tendência, cada vez mais clínicas estão investindo em marketing médico para atrair mais pacientes.

No entanto, ainda que as redes sociais sejam uma ótima ferramenta para ganhar reputação e fidelizar pacientes, o marketing médico está sujeito a alguns limites legais que devem ser estritamente respeitados.

Quer saber mais sobre o que pode e o que não pode ser feito no marketing médico? Confira na sequência do artigo.

 

Entenda o marketing médico

O marketing digital para médicos e clínicas é uma tendência que se estabeleceu nos últimos anos.

Através dos conceitos do inbound marketing, o objetivo é divulgar serviços, oferecer conteúdos relevantes e, claro, atrair mais pacientes para sua clínica ou consultório.

Mas é aí que devem ser respeitados alguns limites.

 

Regras do CFM

O Conselho Federal de Medicina (CFM) instituiu uma resolução chamada Manual de Publicidade Médica, que define algumas diretrizes para que as estratégias de marketing médico, sejam executadas de uma forma ética e profissional.

Portanto, as redes sociais são um importante canal para você estabelecer sua reputação, mas tenha em mente o que não é aceito no marketing médico. Alguns dos principais equívocos são:

Divulgar fotos de pacientes

Não importa se o paciente consentiu ou não com a divulgação das fotos. Aquela tradicional montagem de “antes e depois” é proibida pelo CFM, que não autoriza a exposição de pacientes para fins publicitários. A única exceção é em apresentações de trabalhos científicos.

Divulgar equipamentos novos

Não há nada de errado em investir na estrutura da sua clínica. No entanto, se você anuncia esses equipamentos como forma de mostrar sucesso ou garantir determinados resultados, você também está ferindo as normas do CFM. Mensagens subliminares ou com duplo sentido também devem ser evitadas.

Anunciar produtos

Não participe de forma nenhuma de anúncios de produtos, marcas ou técnicas diferenciadas e, muito menos, em propagandas enganosas!

Prescrever a distância

Redes sociais ajudam a se aproximar do público da sua clínica, mas é vedado qualquer tipo de consulta ou prescrição a distância, salvo os casos em utilização da telemedicina nos termos de seus regulamentos e leis.

 

Boas práticas

Agora que você está mais ciente dos limites do marketing médico, adote boas práticas como:

Compartilhar conteúdos de valor

Através de um blog, por exemplo, você pode educar os pacientes a respeito de questões relevantes dentro da sua área de atuação. Isso ajuda a construir sua credibilidade dentro do meio digital.

Divulgar sua clínica/especialidade

Dentro das regras estabelecidas, não há nada de errado em divulgar sua clínica e a sua especialidade. Não esqueça também de sempre compartilhar o seu CRM ou RQE (registro de qualificação de especialista).

Estreitar relacionamento

Utilize os canais digitais para facilitar agendamentos de consultas e exames, fazer lembrete de retornos e solucionar as dúvidas dos pacientes!

Gostou das dicas? Para mais conteúdos exclusivos que vão te ajudar na gestão da sua clínica ou consultório, siga nossas redes sociais e assine nossa newsletter.

Compartilhar esta postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Back to Blog